Por um mundo sem gordofobia

Dra Andrea Pereira – nutróloga, integrante do Comitê Científico do Instituto Vencer o Câncer e coordenadora do Instituto Obesidade Brasil

O preconceito contra as pessoas com obesidade é muito mais forte do que imaginamos. Essas pessoas são julgadas como menos capazes, preguiçosas, desleixadas e sem perspectiva de serem bem-sucedidas em nenhuma área. Na procura de trabalho são excluídas na primeira entrevista, independente da sua formação e habilidade, apenas pela sua aparência.

Esse tabu tem consequências sérias para a saúde. Devido ao preconceito dos profissionais de saúde e a falta de estruturas adequadas em laboratórios, consultórios e hospitais, as pessoas com obesidade têm seu câncer descoberto mais tarde, por falta de diagnóstico precoce. Além disso, muitas vezes postergam sua ida aos serviços de saúde por terem medo de serem maltratadas, algo que ocorre com frequência.

No momento atual, mesmo sendo um grupo de risco consagrado pela ciência para complicações da Covid-19, têm tido dificuldade em serem vacinadas e de conseguirem atestados médicos que comprovem sua obesidade. Ouvem nas filas de vacinação que não merecem estar ali.

O Instituto Obesidade Brasil lançou a campanha #MundoSemGordofobia, para estimular reflexões acerca dos impactos que o preconceito causa na vida das pessoas com obesidade.

Precisamos entender que obesidade é uma doença crônica e não uma escolha ou falta de caráter e olhar as pessoas com obesidade com o devido respeito, não prejudicando a sua saúde física e mental com os nossos pré-julgamentos.

Gostou desse texto? Então compartilhe
Compartilhar no facebook
Compatilhar no Facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no WhatsApp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no Linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no Twitter

Deixe um comentário